Twitter Facebook

Buscar
 
   
 
 
 

 

 

 

Camara

02/11/2018 - 09:35h

Taxa de Vigilância Sanitária Deve Ser Reduzida em 75% Para o Mei no Primeiro Ano de Atividade

Durante a sessão ordinária desta terça-feira, 30, foi aprovado, em primeira discussão e votação, o Projeto de Lei Complementar nº 13/2018, de origem executiva. O PL dá nova redação à Lei Complementar nº 230/2014, reduzindo o valor da taxa de vigilância sanitária aplicada ao Microempreendedor Individual (MEI) em 75%, no primeiro ano de suas atividades.----   Antes da votação, a proposta recebeu parecer favorável da Comissão Conjunta de Constituição, Legislação e Redação (CCLR), de Finanças, Orçamento e Fiscalização Financeira (CFOFF) e de Serviços Públicos (CSP). A vereadora Ana Helena Boos (PP) fez um parecer em separado, contrário ao projeto.----   Legislação Federal:---   A Lei Complementar nº 123/2006 institui normas gerais sobre o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, que isenta os custos à categoria MEI referentes à abertura, ao registro, ao funcionamento, ao alvará, à licença, ao cadastro e outros. Bem como, de valores relativos à fiscalização da vigilância sanitária. O vereador Alessandro Simas (PSD), líder do governo, apresentou o posicionamento do Executivo: “Essa legislação federal está eivada, não de legalidade, mas sim de inconstitucionalidade.-----   O art. 151 da Constituição Federal diz que é vedado à união instituir isenções de tributos que são da competência dos estados e municípios”. Segundo Simas, a União estaria usurpando do município o direito de cobrança dessa taxa. O vereador ainda defendeu que as despesas de expediente e fiscalização com o MEI são consideráveis.----   Por meio de parecer em separado, a vereadora Ana Helena Boos, confrontou o PL. A parlamentar alegou que o município estaria novamente ferindo o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Para a vereadora, o Executivo institui uma isenção parcial a uma prestação de serviço sobre a qual não deveria incidir custo algum para a categoria.-----   Ao se referir à Lei Complementar nº 264/2017, que instituiu a cobrança da taxa integral à categoria, a partir do segundo ano de atividade, a vereadora questionou: “A ilegalidade está na lei em que foi instituída a cobrança. O fato de ser ilegal motivou o Executivo a reduzir a cobrança. Se fosse legal, por que reduziriam o valor? Vai trazer um benefício para o MEI, mas não vai corrigir a ilegalidade que foi aprovada por aquela lei, em novembro de 2017”.----   Os vereadores Marcos Deichmann (Patriota) e Celso Carlos Emydio da Silva, o Dr. Celso (DEM), também se manifestaram na tribuna, levantando pontos sobre a constitucionalidade da cobrança. O projeto ainda deve passar por segunda discussão e votação, se for aprovado, segue para a sanção do prefeito Jonas Oscar Paegle (PSB)....*Assessoria

 

 

 

 
 
 
 
 
 

Notícias

Abastecimento

Acidentes

Administração

Alimentos

Anunciantes

Anuncios

Arte

Assitencia Social

Aventura

Bombeiros

Camara

Câmara Federal e Senado

Campo

Capacitação

Cidadania

Cidadania

Cidades

Ciência

Clima/tempo

Coisas da Vida

Coluna

Comendas

Comercio

Comportamento

Comportamento

Comunicação

Comunicado

Comunidade

Congresso Nacional

Conhecimento

Consumidor

Corrupção

Crime

Cultura

Curiosidades

Datas

Desastres

Desenvolvimento

Destaques

Drogas

Ecologia

Economia

Educação

Eleições 2016

Emergencia

Energia

Ensino

Entidades

Entretenimento

Espaço do Leitor

Esportes

Estradas

Eventos

Família

Fenarreco

Festas

Forças Armadas

Gente

Governo

Habitação

Imprensa

Intercâmbio

Internacional

Investigação

Investimentos

Jogos

Jornal

Judiciário

Justiça

Lava Jato

Lazer

Legislação

Legislativo

Legislativo Guabiruba

Manifestações

Medicina

Meio Ambiente

Melhorias Urbanas

Mensagem

Moções

Mundo

Natal

Natureza em Foco

Obras Publicas

Ocorrencias

Opinião

Parcerias

Partidos

Perigo

Planejamento Urbano

Policia

Política

Previdência

Prisões

Produtos

Profissões

Publicidade

Resgate

Roubo

Saúde

Saúde Públca

Segurança

Sensibilidade

Serviço

Serviços Públicos

Sindicatos

Sinistros

Sociais

Solidariedade

Tecnologia

Tempo

Trabalhista

Trabalho

Transito

Transito

Treinamento

Tributos

Turismo

Utilidade Publica

Vida

Zoobotanico

 
 
Copyright © 2010 - Todos os direitos reservados para Brusque Notícias Desenvolvido por Imoveisdebrusque.com.br