Twitter Facebook

Buscar
 
   
 
 
 

 

 

 

Camara

18/04/2019 - 08:30h

Câmara Aprova Reajuste de 4,17% Aos Vencimentos Dos Servidores Públicos Municipais

Percentual inclui revisão geral anual conforme a inflação (3,94%) e aumento real (0,23%)-----------   Em sessão ordinária realizada nesta terça-feira, 16, os vereadores aprovaram em regime de urgência o Projeto de Lei Ordinária 21/2019, que reajusta em 4,17% aos vencimentos dos servidores públicos municipais da administração pública direta e indireta, autarquias, fundações, estatutários e celetistas, ativos e inativos do Poder Executivo.-----------   O percentual de 4,17% inclui a revisão geral anual conforme a inflação registrada nos 12 meses anteriores à data-base, pela aplicação do INPC (3,94%), somada a um aumento real (0,23%), e retroagirá a 1º de março de 2019. O auxílio-alimentação dos servidores, instituído pela Lei Municipal 3.858/2015, passa de R$ 286 para R$ 308.------------   Vencimentos da Câmara:----- Na mesma sessão, foi aprovado também o Projeto de Lei Ordinária 34/2019, que estabelece o mesmo percentual de revisão geral anual (3,94%) aos vencimentos dos servidores ativos e inativos da Câmara Municipal, bem como aos vencimentos dos vereadores.-------------   Os servidores do Legislativo serão contemplados ainda com aumento real (0,23%) - não aplicável aos vereadores. O auxílio alimentação terá um acréscimo de R$ 35, ficando em R$ 475, e ao auxílio transporte será aplicado o percentual de reajuste total (4,17%).-------------   Discussão:----- Ao discutir o PL 21/2019, Jean Pirola (PP) relembrou a acusação feita pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Brusque e Região (Sinseb), Orlando Soares Filho, sobre um suposto atraso proposital da Câmara no trâmite da matéria.------------   Pirola frisou que a casa legislativa aguardava retorno do Executivo quanto ao pedido, de sua autoria, pela análise do impacto orçamentário que seria causado aos cofres públicos devido ao aumento real (0,23%) a ser aplicado aos vencimentos dos servidores.------------   O documento, disse, chegou à Câmara na quinta-feira 11 e, no dia seguinte, o texto estava apto para votação. “Jamais a Câmara fez atrasos em qualquer projeto, principalmente os relacionados ao funcionalismo”, afirmou. “Respeitamos muito essa classe e sempre defendemos os seus direitos”.---------   “Não houve nenhum prejuízo ao funcionalismo, até porque, mesmo que [o trâmite] estivesse atrasado, coisa que não está, [o efeito] é retroativo a 1º de março”, contribuiu, em aparte, Ivan Martins (PSD). Ele criticou, mais adiante, o fato de presidentes de sindicatos terem alguma filiação partidária, o que tornaria “políticas” as discussões travadas em torno de certos assuntos, como o reajuste salarial.-------------- Para Paulinho Sestrem (Patriota), o Executivo demorou a apresentar o PL - o que pode ter ocorrido, cogitou, pela morosidade das tratativas entre Sinseb e Prefeitura. A matéria deu entrada na Câmara em 25 de março: “Chegou tarde. É óbvio que não seria votado na semana do pagamento. Deveria ter chegado antes. Se o mês do reajuste é março, que não mandem faltando dois dias para o pagamento”.-----------------   “A Câmara vem cuidando, sim, desses procedimentos e defende o servidor público constantemente”, acrescentou Sestrem. “[O atraso] causou uma situação chata com os funcionários públicos, a cobrança sobre os vereadores, que realmente fizeram o seu papel”.----------   Alessandro Simas (PSD), líder do governo na Câmara, pontuou que a assembleia promovida pelo sindicato para aprovar o percentual de reajuste aconteceu em 20 de março. “Se é para valer a partir de março, que as discussões comecem em fevereiro”, sugeriu.----------------   Claudemir Duarte, o Tuta (PT), apoiou a ideia: “O trâmite desse projeto foi todo rápido. [A antecipação das assembleias] é interessante até para que o vereador possa ter as suas conversas e essa mesma situação não volte a ocorrer no ano que vem”.----------   Na opinião de André Rezini (PPS), Sinseb e Prefeitura conduziram o processo de forma harmônica até a apresentação da proposta ao Legislativo, “sem aquela briga toda vista em outros anos, sem pressão ou leilão”.------------   “Houve esse problema de datas, mas todos sabem que o servidor público não será prejudicado com essa questão”, reforçou Rezini.---------------*Assessoria

 

 

 

 
 
 
 
 
 

Notícias

Abastecimento

Acidentes

Aconteceu

Administração

Alimentos

Anunciantes

Anuncios

Arte

Assitencia Social

Aventura

Bombeiros

Brasil

Camara

Câmara Federal e Senado

Campo

Capacitação

Cidadania

Cidadania

Cidades

Ciência

Clima/tempo

Coisas da Vida

Coluna

Comendas

Comercio

Comportamento

Comportamento

Comunicação

Comunicado

Comunidade

Congresso Nacional

Conhecimento

Consumidor

Corrupção

Crime

Cultura

Curiosidades

Datas

Defesa Civil

Desastres

Desenvolvimento

Destaques

Dicas

Drogas

Ecologia

Economia

Educação

Eleições 2016

Emergencia

Energia

Ensino

Entidades

Entretenimento

Espaço do Leitor

Esportes

Estradas

Eventos

Falecimento

Família

Fenarreco

Festas

Forças Armadas

Gente

Gente Famosa

Governo

Habitação

Imprensa

Informe

Infraestrutura/mobilidade

Intercâmbio

Internacional

Investigação

Investimentos

Jogos

Jornal

Jornalismo

Judiciário

Justiça

Lava Jato

Lazer

Legislação

Legislativo

Legislativo Guabiruba

Manifestações

Medicina

Meio Ambiente

Melhorias Urbanas

Mensagem

Mercado

Mobilidade

Moções

Mundo

Natal

Natureza em Foco

Obras Publicas

Ocorrencias

Opinião

Parcerias

Partidos

Perigo

Pesquisas

Planejamento Urbano

Policia

Política

Previdência

Prisões

Produtos

Profissões

Publicidade

Resgate

Retrospectiva 2011

Roubo

Samae

Saúde

Saúde Públca

Segurança

Sensibilidade

Serviço

Serviços Públicos

Sindicatos

Sinistros

Sociais

Solidariedade

Tecnologia

Tempo

Terror

Trabalhista

Trabalho

Transito

Transito

Treinamento

Tributos

Turismo

Utilidade Publica

Vida

Zoobotanico

 
 
Copyright © 2010 - Todos os direitos reservados para Brusque Notícias Desenvolvido por Imoveisdebrusque.com.br